Neste momento, em um Brasil em marcha ré, muitos perdem seus empregos. Como devem se movimentar no mercado aqueles que se encontram em transição de carreira? Que alvos devem focar?

Mande seu currículo para empresas de recrutamento e headhunters, mas não coloque toda sua esperança nesta alternativa. A verdade nua e crua, ouvinte, é que essas empresas, em sua maioria, não têm simpatia por indivíduos em transição. Preferem “caçar” talentos que já estão empregados. Não despreze este caminho, mas não espere grandes resultados dele.

A realidade da transição de carreira bem sucedida é pródiga em evidenciar que o networking pessoal é a melhor alternativa para sua recolocação. Valerá muito o tempo investido em contatos com sua rede, não só de amigos, mas de relacionamentos construídos profissionalmente. Pense na quantidade de fornecedores, clientes, acionistas e colaboradores que orbitavam em torno das empresas onde você trabalhou. Serão apoiadores especiais aqueles que o conheceram pessoalmente, que sabem das suas realizações, que têm referências sobre suas habilidades. Com base na minha experiência como consultor de carreira, cerca de 80% das recolocações vem do networking do indivíduo. Por isso, não poupe nenhum destes contatos, até porque às vezes o apoio e a oportunidade vem de onde menos esperávamos.

 

LEMBRE-SE: CONSCIÊNCIA TRANSFORMA A REALIDADE.

ROGÉRIO CHÉR, FALANDO SOBRE PROPÓSITO DE VIDA E CARREIRA.

Comments

comments