Seja sincero: quantas pessoas estão satisfeitas com o RH da sua empresa? Quantas consideram correta a maneira como a empresa lida com as pessoas?

De um modo geral, vejo um banho de sangue por aí. Um sentimento de injustiça que compromete a confiança. Lideranças (de todas as áreas) pouco inspiradoras, não porque sejam maus oradores, escrevem errado ou porque não se vistam em conformidade com o melhor figurino corporativo. Não inspiram porque não são coerentes entre o que falam e fazem. Suas decisões não têm conexão com os valores declarados da empresa, e nem sequer se alinham com os próprios valores deles mesmos. São, na verdade, zumbis da falta de consciência, os “walking deads” da paisagem organizacional, trancados no subsolo deles mesmos, sem autoconhecimento e incapazes de articular com mínima coerência o que pensam, o que sentem e como agem – consigo e com os demais ao seu redor.

Sistemas espalhafatosos e ferramentas confusas de duvidosa eficácia são colocadas em ação, como se conseguíssemos enfiar pessoas no mundo racional e lógico das planilhas Excel. Acho que batemos a cabeça no teto da insensatez. O que é ruim, claro, mas é útil para incendiar o desejo de mudança.

Vejo alguns líderes de RH preocupados em fortalecer a cultura da empresa e realinhar a relação com as pessoas em propósitos e valores. São líderes que aos poucos se tornam guardiões destas culturas. Algumas empresas tem jogado no lixo seus modelos de avaliação de desempenho, em razão do rastro de destruição humana que provocam, trocando tudo isto por fóruns permanentes de feedback em tempo real. Vejo, afinal, líderes corajosos colocando seus processos de gestão de pessoas a serviço da ampliação de consciência dos colaboradores para aquilo que os coloca em sua plena potência, como pessoas e profissionais, em condições para emprestar o que tem de melhor para si mesmos, seus times e suas organizações.

Às vezes é preciso chegar ao limite da impaciência, do desconforto e da inquietação para darmos um passo a frente. Estamos em boa hora!

LEMBRE-SE: CONSCIÊNCIA TRANSFORMA A REALIDADE.

ROGÉRIO CHÉR, FALANDO SOBRE PROPÓSITO DE VIDA E CARREIRA.

Comments

comments