Quando falamos sobre alguém capaz de liderar é comum pensarmos em pessoas comunicativas, boas de palco, extrovertidas e com carisma capaz de magnetizar multidões. É mesmo a descrição de alguns líderes, mas ao mesmo tempo a caricatura do que significa liderar. Nem todos são assim.

Nos últimos anos, atuei em várias empresas com minha consultoria onde encontrei líderes que se encaixam na definição de tímidos. A surpresa é que todos – sem exceção – mostravam-se ótimos para liderar. São bons ouvintes e ponderam muito o que escutam com empatia, presença e atenção. Não são voluntariosos, que saem correndo para a ação: querem antes ter certeza de que compreenderam o cenário mais amplo antes de agir. Como Jim Collins alertava em seu livro “Feitas para Vencer”, tais líderes olham para o espelho, em situações de dificuldade e olham pela janela, em momentos de sucesso. Tal atitude pressupõe chamar para si a responsabilidade, naqueles instantes mais complicados, e compartilhar com os demais as glórias do acerto, em contextos de prosperidade. São líderes, portanto, que engajam e inspiram com eficácia, apesar de toda timidez.

LEMBRE-SE: CONSCIÊNCIA TRANSFORMA A REALIDADE.

ROGÉRIO CHÉR, FALANDO COM VOCÊ SOBRE PROPÓSITO DE VIDA E CARREIRA.

 

 

Comments

comments