A palavra “autoconhecimento” é mais conhecida, porém é incompleta. O desafio de ampliar consciência depende de duas disciplinas: conhecer e compreender a si mesmo. E qual a diferença?

“Conhecer” pressupõe um exercício do lado esquerdo do cérebro, nossa parte lógica e racional. Significa discorrer sobre nossa história, relembrar os principais marcos biográficos e explorar como contribuíram para solidificar crenças que nos geram pensamentos alavancadores ou limitantes, nossos valores, competências, talentos e propósito de vida e carreira.

“Compreender”, por outro lado, depende da conexão com o hemisfério direito do cérebro. Enquanto nossa lógica elenca e narra nossos marcos biográficos, é preciso senti-los, perceber no corpo e na emoção seus resíduos, tensões e marcas. No mesmo instante em que tudo isso passa pelos sentimentos novamente, esforço-me para expressá-los e dar coerência para tal expressão, fazendo contato com o significado que cada uma destas coisas guarda em minha biografia.

Desse modo, a soma entre conhecer e compreender a si mesmo molda a definição de “sabedoria do eu”, ou “autossabedoria”.

LEMBRE-SE: CONSCIÊNCIA TRANSFORMA A REALIDADE.

ROGÉRIO CHÉR, FALANDO COM VOCÊ SOBRE PROPÓSITO DE VIDA E CARREIRA.

 

Comments

comments