É comum, durante a infância, recebermos aquilo que podemos chamar de “mandamentos”. São previsões ou fantasias que terceiros fazem sobre nosso futuro e que tomamos como verdadeiras. Quanto maior o poder de autoridade ou afeto desta pessoa sobre nós, mais crédito damos às suas afirmações, que podem nos impactar positiva ou negativamente.

Fantasiar para uma criança sobre seu futuro pode resultar em mandamentos positivos: “Você é muito criativo! Será alguém famoso e com sucesso”, “sei que no futuro você terá sorte com os negócios”. De um modo ou de outro, o indivíduo cresce querendo fazer jus a estes mandamentos, estimulantes e alavancadores do seu caminho futuro. Agora imagine coisas do tipo “você não faz nada certo mesmo, hein?”, ou ainda “desse jeito ninguém vai querer casar com você”. Palavras assim, saídas da boca de alguém importante para nós, pessoas que legitimamos de algum modo, correm o risco de provocar exatamente o destino que adoraríamos evitar. São profecias que se autorrealizam, sempre que nos mantemos na escuridão de nós mesmos, sem autossabedoria.

LEMBRE-SE: CONSCIÊNCIA TRANSFORMA A REALIDADE.

ROGÉRIO CHÉR, FALANDO COM VOCÊ SOBRE PROPÓSITO DE VIDA E CARREIRA.

Comments

comments