Uma das melhores iniciativas para impactar positivamente o Clima Organizacional e o Engajamento é levar adiante um Programa de Mentoring.

O que é?

O Mentoring consiste em forte apoio para o desenvolvimento de líderes. De um lado, um Mentor, alguém experiente, admirado como liderança (independente do título do cargo), expressão viva do “jeito de ser e fazer” da Organização e com motivação para aconselhar, explicar, ouvir e orientar profissionais com menor experiência e “quilometragem”. De outro lado, o Mentorado, um profissional talentoso e com alto potencial, com humildade e interesse para aprender e ouvir profissionais mais experientes.

O Mentor deve ser um voluntário no Programa, dado seu legítimo interesse por pessoas, e não deve ter ascendência hierárquica sobre o Mentorado. É ideal, inclusive, que seja de outra área, que tenha domínio sobre a Cultura, a Estratégia e a agenda política e mais sutil da Organização.

Seus Fundamentos

Muito importante que o Mentoring tenha as seguintes premissas:

1) Governança: a condução pela equipe de RH, Cultura e Talentos da empresa.

2) Patrocínio: o claro apoio da alta liderança à iniciativa.

3) Lastro na Cultura: o forte alinhamento com os elementos e artefatos da Identidade Corporativa.

4) Conexão com a Estratégia: o Mentoring deve ser uma experiência de aceleração do desenvolvimento de líderes tendo em vista as competências funcionais, comportamentais, estratégicas e essenciais da Organização.

Uma relação empática e generosa

Mentor e Mentorado estabelecem uma parceria com vistas a resultados de vida e carreira, com ampliação de horizontes, superação de limites e encorajamento para novos e maiores desafios.

O Mentoring é, no contexto geral do desafio de gestão de pessoas, o processo que mais recursos coloca à disposição dos colaboradores no que tange ao seu amadurecimento pessoal e profissional. Neste processo, cria-se entre Mentor e Mentorado uma relação de troca de experiências e de reflexões, de vida pessoal e profissional.

Os encontros mensais

Em geral, o Programa dura 12 meses, com 12 encontros mensais entre Mentor e Mentorado. Cada encontro dura cerca de 2h. O Mentorado é o protagonista do processo e, portanto, toma a iniciativa de agendar e pautar os encontros.

No primeiro encontro, os temas gerais pressupõem os seguintes tópicos:

  • Biografias: autoapresentações por parte de Mentor e Mentorado, a fim de estabelecerem conexão interpessoal.
  • Visão Geral do Programa e da Agenda de Encontros: repassar todo o calendário a ser cumprido e organizá-lo.
  • Balanço da trajetória profissional do Mentorado: apresentação da sua narrativa de vida e carreira, com seus principais marcos biográficos.
  • Principais desafios no momento: uma fotografia do momento presente, uma descrição dos atuais desafios vividos pelo Mentorado.
  • Olhar para o futuro: interesses de futuro, objetivos de vida e carreira do Mentorado.
  • Balanço da reunião: Mentor e Mentorado trocam feedbacks e percepções sobre o encontro.

Nos demais encontros:

  • Visão Geral do Programa e da Agenda de Encontros: o que foi realizado até aqui, o que falta realizar e o planejamento dos próximos encontros.
  • Participação nos workshops: Mentorado relata como tem sido sua experiência de aprendizagem com os workshops de desenvolvimento promovidos pela área de RH, Cultura e Talentos.
  • Principais desafios no momento: Mentorado analisa seus desafios presentes.
  • Olhar para o futuro: Mentorado avança nas reflexões sobre objetivos futuros de vida e carreira.
  • Balanço da reunião: Mentor e Mentorado trocam feedbacks e percepções sobre o encontro.
  • Em todas as conversas, o Mentor oferece presença e escuta empáticas, aconselha e compartilha suas próprias experiências de erros e acertos, bem como suas grandes lições aprendidas.

Dicas para boas conversas

Entre toda a literatura disponível sobre o tema, o melhor livro chama-se Mentoring: Prática e Casos. Fundamental Para o Desenvolvimento de Carreiras, de Rosa Elvira Alba Bernhoeft, da Editora Évora. Vale muito a pena conferir.

Baseado no trabalho da Rosa – e à luz da experiência prática que tenho com Programas de Mentoring com meus clientes – recomendo abaixo algumas dicas para boas conversas entre Mentor e Mentorado:

  • Mentor deve fazer perguntas que induzam o Mentorado a refletir sobre a questão antes de respondê-la.
  • Mentor não deve apresentar mais de uma pergunta de cada vez, sob o risco de não serem inteiramente respondidas.
  • Mentor deve controlar a ansiedade e não interromper a resposta de seu Mentorado.
    Ambos devem prestar atenção à comunicação não verbal.
  • Mentor deve utilizar também a linguagem não verbal, quando for apropriado.
  • Mentor deve esperar sempre pela resposta à sua pergunta, ciente de que tanto o silêncio quanto a demora em responder têm significados.
  • Mentor não deve aceitar respostas genéricas: vale provocar e aprofundar.
  • Mentor não deve fazer deduções: deve perguntar até se certificar de ter entendido perfeitamente o ponto tratado.

O Mentoring na prática

  • Mentorado contextualiza sua demanda ao Mentor, ou seja, deixa claro qual tema deseja e precisa explorar em cada encontro.
  • Ambos criam uma relação de aconselhamento e um clima propício para uma comunicação franca.
  • O Mentor ajuda o Mentorado a identificar seus desafios, oportunidades, bem como os bloqueadores e os paralisadores do seu processo de evolução.
  • Mentor deve inspirar o Mentorado no processo de soluções desses desafios.
  • Mentor deve dividir com o Mentorado suas histórias de sucesso e de erros.
  • Mentor pode sempre admitir honestamente suas eventuais limitações para atender a uma demanda do Mentorado, quando estiver fora do seu alcance.
  • Mentor deve indicar, quando for o caso, outros profissionais que possam auxiliar o Mentorado.
  • Mentor e Mentorado devem solicitar feedback um ao outro sobre o processo, os encontros e seus resultados.
  • Mentor e Mentorado devem se preparar seriamente para cada encontro.
  • A iniciativa deve ser sempre do Mentorado: ele agenda e pauta as reuniões.

O Projeto de Vida e Carreira

A maioria dos Programas de Mentoring não produz um resultado concreto, tangível. Por esta razão, recomendo sempre que todos os Mentorados, ao longo dos encontros, elaborem seu Projeto de Vida e Carreira, à luz das reflexões realizadas e dos seus objetivos pessoais e profissionais para o futuro. Ouvir os Projetos dos Mentorados será uma forma prática de avaliar os impactos do Programa. Para os Mentorados, compartilhar seus Projetos com os principais líderes da organização será um privilégio e uma oportunidade singular de ampliar relacionamentos e o engajamento com o propósito da empresa.

LEMBRE-SE: CONSCIÊNCIA TRANSFORMA A REALIDADE.

ROGÉRIO CHÉR, é sócio da Empreender Vida e Carreira, autor do best-seller Empreendedorismo na Veia – um aprendizado constante e do livro Engajamento – melhores práticas de Liderança, Cultura Organizacional e Felicidade no Trabalho.

Comments

comments