Vamos refletir sobre esta personagem abjeta: o Líder Jararaca. Como identificá-lo por aí?

Falta de ética e desrespeito são marcas registradas. Grandes falastrões, eles têm baixíssima escuta. Seja lá o que você tenha a ponderar, sua frase estará pronta e virá – muito frequentemente – acompanhada por metáforas sarcásticas de gosto duvidoso. Confiam em suas “míticas intuições” e operam em torno de pessoas e políticas de baixa qualidade e rasa consistência técnica. Meritocracia e cuidados com a gestão são tidos como “frescuras”. Sua fala e sua atitude não são coerentes, mas isso não tem nenhuma importância para eles. Preferem qualquer vantagem pessoal momentânea ao invés de planos com visão futura de longo prazo. Sobem às alturas como pó que se levanta com o vento. Não tardam a cair quando a brisa passa.

Arrogância, desonestidade e incompetência não demoram a manifestar seus horrorosos efeitos. É o que experimentamos agora, em todo nosso sistema político-partidário. Estamos no “volume morto” de líderes capazes de inspirar mudanças.

Líder singular da História, Lincoln disse: “pode-se enganar alguns o tempo todo; pode-se enganar a todos por algum tempo; mas não se pode enganar a todos o tempo todo”. A verdade floresce com o tempo, felizmente. Um poeta, A.L. de Bonsucesso, deixou-nos um texto genial, que profetizou sem querer o Brasil de agora. Fala do pó, que dormia em seu “feio chão”, levantado em turbilhão pelo vento, sem medo. Lá pelas alturas, o pó julga-se um rei,
 que governa a todos com “diabruras”. O vento, porém, cessa. O pó, na terra lisa, cai depressa. Agora, tanto o rico quanto o pobre nele pisam. “Pensei ser grande coisa”,
 lamenta o pó, tristemente.
 Agora, assim repousa 
no chão, aquele que nos ares andou garbosamente.

Bonsucesso termina com linhas brilhantes e quase proféticas: “Aquele que se eleva
 sem mérito real,
 muitas horas não leva,
 na bela posição que exerce mal; pois logo que lhe falta
 a protetora mão,
 de posição bem alta
 vem, como deve, rastejar no chão!”. Que possamos pensar e desejar um novo Brasil, um novo empreendedorismo e novos Líderes políticos e empresariais, com um renovado sistema de Valores.

A experiência de ser liderado por gestores com este perfil é inesquecivelmente trágica. Mas tudo melhora quando a Jararaca é pega, às vezes somente pelo rabo, mas depois pela cabeça.

LEMBRE-SE: CONSCIÊNCIA TRANSFORMA A REALIDADE.

ROGÉRIO CHÉR, é sócio da Empreender Vida e Carreira, autor do best-seller Empreendedorismo na Veia – um aprendizado constante e do livro Engajamento – melhores práticas de Liderança, Cultura Organizacional e Felicidade no Trabalho.

Comments

comments