A importância de um “código comum”

Nos livros Meu Próprio Negócio e Empreendedorismo na Veia, de minha autoria, os 6C’s aparecem como roteiro para guiar candidatos a sócios em algum tipo de sociedade. A ideia continua válida para este propósito, mas se alinha bem para outros tipos de relacionamento, no trabalho e na vida pessoal, até mesmo no relacionamento conjugal. Vejamos.

No senso comum acredita-se que ter um amigo ou parente como parceiro de alguma empreitada conjunta assegura mais chance de sucesso. Todavia, a realidade mostra que a ausência de sucesso invariavelmente compromete os relacionamentos de amizade e parentesco. É claro que fazer algo com amigos ou familiares pode dar certo, mas o sucesso depende essencialmente de um pacto construído antes da formalização das sociedades em contratos e estatutos sociais, bem antes de certidões oficiais que formalizam uniões entre indivíduos ou empresas.

O êxito de uma aliança depende menos do grau de amizade ou parentesco e mais do “código” estabelecido entre as partes. Isto serve para um casamento, para uma sociedade empresarial ou mesmo para alianças entre amigos e colegas de trabalho.

Chamamos este código de os “6 Cs”: convergência, complementaridade, companheirismo, confiança, compreensão e circunstância. Vamos refletir sobre cada um deles.

Convergência

Como já dissemos, as pessoas devem ter unidade de pensamento, identidade de valores e comunhão de objetivos. Não precisam pensar igual sobre tudo, mas devem ter identidade quanto a valores e quanto à postura perante a vida. Os estilos podem ser diferentes, mas os princípios morais e éticos devem ser convergentes. É quase impossível unir pessoas com visões antagônicas sobre temas chaves, como por exemplo: ética, trabalho, dinheiro, sexo, maternidade, paternidade, família ou mesmo credo religioso.

Complementaridade

As diferenças não devem implicar filosofias opostas ou valores antagônicos, mas, sim, características que se complementam e qualidades que se somam. As diferenças naturalmente podem existir, desde que tornem a sociedade forte a partir da soma de características que se completam: por exemplo, pessoas com conhecimentos, habilidades e experiências diferentes e positivamente complementares.

Companheirismo

Amizade e companheirismo são coisas diferentes. A amizade não garante sucesso ao empreendimento, mas a ausência de sucesso pode acabar com a amizade. Em uma aliança bem sucedida deve existir uma fronteira clara entre amizade e os objetivos compartilhados. Mais do que amizade, o que deve prevalecer é respeito mútuo e solidariedade nos bons e maus momentos.

Confiança

É inconcebível uma aliança em que as pessoas não confiem umas nas outras. É preferível não constituir nenhum projeto em comum com alguém que inspire dúvida sobre seu comportamento ético, no sentido da convergência de valores. Além disso, nem todas as decisões serão consensuais. Muitas vezes você precisará dar crédito às ideias e propostas do outro, ainda que na sua opinião elas não sejam as mais indicadas. Nessas ocasiões, dê oportunidade para a pessoa tentar. Se não der certo, aja rapidamente em outra direção e não perca tempo com frases do tipo “não disse?” ou “sabia que não daria certo …”.

Compreensão

O dia-a-dia de uma relação é difícil e não pode prescindir de entendimento e tolerância, que nos habilitam a aprender a ouvir e compreender o pensamento, as intenções e os receios de nossos interlocutores.

Circunstância

É preciso analisar as condições de momento para constituir a aliança. Atente para as circunstâncias pessoais, familiares e financeiras pelas quais passa aqueles com que se aliará. Analise se essas circunstâncias não as levarão a se precipitar na iniciativa com você de forma pouco refletida. Procure avaliar se amadureceram adequadamente a ideia e se suas circunstâncias particulares de vida favorecem a empreitada ou se, pelo menos, não a coloca em perigo.

LEMBRE-SE: CONSCIÊNCIA TRANSFORMA A REALIDADE.

(artigo adaptado do livro “O que mais você quer de mim?”, de minha co-autoria com Magda Oliver Ruas, a ser editado pela Editora Ornitorrinco em breve)

ROGÉRIO CHÉR, é sócio da Empreender Vida e Carreira, autor do best-seller Empreendedorismo na Veia – um aprendizado constante e do livro Engajamento – melhores práticas de Liderança, Cultura Organizacional e Felicidade no Trabalho.

Comments

comments