Há poucas coisas que combinam tanto quanto 3 pilares: Liderança, Cultura e Engajamento. A Cultura deve expressar a Identidade Organizacional por meio dos seus Elementos: Propósito, Missão, Visão e Valores.

Para “pousar” essa essência de modo concreto na realidade, entram em cena os chamados Artefatos da Cultura: comportamentos, símbolos e sistemas.  Os comportamentos derivam dos Valores, reforçando na prática seus significados. Os símbolos encontram-se nas percepções que fortalecem – ou enfraquecem – a Cultura no dia-a-dia: os rituais de gestão, as instalações físicas, o desenvolvimento dos melhores talentos, o modo como administramos o tempo e o orçamento, apenas para citar alguns. Por fim, os sistemas precisam estar embebidos da Cultura, ou seja, ela deve estar presente na maneira como executamos nossas políticas e processos.

Note: uma Cultura tem efetividade quando sua Liderança é seu modelo vivo e exemplar. É ela quem patrocina a Cultura em todas as cenas da vida corporativa. E será este o fator chave mais relevante para engajar e inspirar a todos os stakeholders em Propósito comum.

LEMBRE-SE: CONSCIÊNCIA TRANSFORMA A REALIDADE!

ROGÉRIO CHÉR, é sócio da Empreender Vida e Carreira, autor do best-seller “Empreendedorismo na Veia – um aprendizado constante”, do livro “Engajamento – melhores práticas de Liderança, Cultura Organizacional e Felicidade no Trabalho” e co-autor com Magda Oliver Ruas da obra “O que mais você quer de mim? O desafio de viver relações significativas”.