Tome cuidado: por vezes, a empresa gosta demais de falar de pontos fracos e não nos ajuda a ampliar consciência sobre nossos talentos.

Em pesquisa feita pelo Gallup com 1,7 milhão de funcionários de 101 empresas em 63 países, só 20% das pessoas que trabalham nas grandes organizações acham que usam seus pontos fortes todos os dias. “A verdadeira tragédia da vida não é cada um de nós não ter suficientes pontos fortes, é fracassarmos em usar os que temos”, dizem os autores do estudo.

Portanto, cabem aqui perguntas úteis para seu auto-coaching e para seu nível de felicidade e engajamento com o trabalho:

1) estou consciente daquilo em que sou especialmente único e talentoso?

2) tenho configurado meus desafios de carreira em torno dos meus talentos? ou estou distante deles em minha atual função?

3) a lógica principal da minha estratégia de desenvolvimento é corrigir meus pontos fracos ou transformar meus talentos em efetivos pontos fortes?

LEMBRE-SE: CONSCIÊNCIA TRANSFORMA A REALIDADE!

ROGÉRIO CHÉR, é sócio da Empreender Vida e Carreira, autor do best-seller “Empreendedorismo na Veia – um aprendizado constante”, do livro “Engajamento – melhores práticas de Liderança, Cultura Organizacional e Felicidade no Trabalho” e co-autor com Magda Oliver Ruas da obra “O que mais você quer de mim? O desafio de viver relações significativas”.